joão leal artwork

Endless

Nesta série, e em jeito de homenagem ao filme “Profissão: Repórter”, de Michelangelo Antonioni (1975), tanto o dinamismo estático do fotográfico como a imobilidade activa da imagem sequenciada, enaltecem o perturbador movimento sem termo aparente.
Nos sete minutos do plano sequência de Antonioni muito acontece, tanto dentro como fora de plano. O quase imperceptível movimento para a frente transporta quem está a ver para o núcleo de um ciclone que, pela instabilidade que vinha revelando, não augurava um desfecho agradável.
Em “Endless”, a linha que percorre a imagem mantém-se perfeitamente nivelada. O suporte da imagem cria uma inesperada ilusão de declive. Ou seja, a instabilidade vem de fora, não está intrínseca como em “Profissão: Repórter”.

Impressões em duratrans, colocadas em 3 caixas de luz (caixas de alumínio, pintadas em branco matte) | 100x25cm | Edições 3+PA
Vídeo em formato 16/9 PAL (para apresentação em plasma 16/9), som stéreo.

---

Endless

In this series, and in homage to “The Passenger” (“Professione: Reporter”) from Michelangelo Antonioni (1975), the static dynamism of the photographic as well as the active immobility of the sequenced image, exalt the disturbing movement, with no end in sight.
On the seven minutes of Antonioni’s sequence shot, many things happened, inside and outside the big frame. 
The almost imperceptible movement forward, takes who sees it, to the nucleus of a cyclone that, for the growing instability (shown as the film develops), doesn’t augur a pleasant ending.
In “Endless”, the line that travels over the image is kept perfectly leveled. The support of the image (the lightbox) creates an unexpected illusion of decline. By other words, the instability comes from the outside, its not intrinsic like in “The Passenger”.

Prints on transparent paper (duratrans), mounted in 3 lightboxes (aluminium boxes, painted in white matte) | 100x25cm | Editions 3+AP
Vídeo in 16/9 PAL (to be presented on a 16/9 plasma screen), stereo sound.

Built with Berta.me